segunda-feira, 11 de abril de 2011

POR QUE NÃO VÃO AJUDAR CRIANÇAS COM FOME?


RESPOSTA À PERGUNTA DE ALGUMAS PESSOAS
Por Francisco José Papi

"Por que não vão defender as crianças com fome?"

Questão interessante.

Vamos ver se essa eu consigo responder de modo didático.

1) Quem faz esta pergunta admite que existem dois tipos de pessoas no mundo:

As Pessoas Que Ajudam e as Pessoas Que Não Ajudam.

Além disso, admite também que faz parte das Pessoas Que Não Ajudam, afinal, do contrário, diria "Por que não me ajudam a defender as crianças com fome?", ou "Venham defender comigo as crianças com fome!", ou "Não, obrigada, vou defender as crianças com fome".

Então ela se coloca claramente através de sua escolha de palavras como uma Pessoa Que Não Ajuda.


É curioso a Pessoa Que Não Ajuda, não faz nenhum esforço para ajudar, mas, sim, para tentar dirigir as ações das Pessoas Que Ajudam. É bastante interessante. Se eu fosse até sua casa organizar sua vida financeira sob a alegação de que eu sei muito mais sobre administração familiar eu estaria interferindo, mas ela se sente no direito de interferir nas ações que uma pessoa resolve tomar para aliviar os problemas que ela encontra ao seu redor.
É uma Pessoa Que Não Ajuda, mas ainda assim quer decidir quem merece ajuda das Pessoas Que Ajudam e o nome disso é "prepotência".


2) Pessoas Que Ajudam nunca vão ajudar as "crianças com fome". Nem tampouco os "velhos", os "doentes" ou os "despossuídos". E sabe por que?
Porque "crianças com fome" ou "velhos" ou qualquer outro destes é abstrato demais. Não têm face, não são ninguém. São figuras de retóricas de quem gosta de comentar sobre o estado do mundo atual enquanto beberica seu uisquezinho no conforto de sua casa.

Pessoas Que Ajudam agem em cima do que existe, do que elas podem ver, do que lhes chama atenção naquele momento. Elas não ajudam "os velhos", elas ajudam "os velhos do asilo X com 50,00 reais por mês".
Elas não ajudam "as crianças com fome", elas ajudam "as crianças do orfanato Y com a conta do supermercado".
Elas não ajudam "os doentes", elas ajudam o "Instituto da Doença Z com uma tarde por semana contando histórias aos pacientes".
Pessoas Que Ajudam não ficam esperando esses seres vagos e difusos como as "crianças com fome" baterem na porta da sua casa e perguntar se elas podem lhe ajudar.
Pessoas Que Ajudam vão atrás de questões muito mais pontuais.
Pessoas Que Ajudam cobram das autoridades punição contra quem maltrata uma cadela indefesa sem motivo.
Pessoas Que Ajudam dão auxílio a um pai de família que perdeu o emprego e não tem como sustentar seus filhos por um tempo.
Pessoas Que Ajudam tiram satisfação de quem persegue uma velhinha no meio da rua.
Pessoas Que Ajudam dão aulas de graça para crianças de um bairro pobre.
Pessoas Que Ajudam levantam fundos para que alguém com uma doença rara possa ir se tratar no exterior.
Pessoas Que Ajudam não fogem da raia quando vêem QUALQUER COISA onde elas possam ser úteis. Quem se preocupa com algo tão difuso e sem cara como as "crianças com fome" são as Pessoas Que Não Ajudam.


3) Pessoas Que Ajudam são incrivelmente multitarefa, ao contrário da preocupação que as Pessoas Que Não Ajudam manifestam a seu respeito. (Preocupação até justificada porque, afinal, quem nunca faz nada realmente deve achar que é muito difícil fazer alguma coisa, quanto mais várias).
O fato de uma Pessoa Que Ajuda se preocupar com a punição de quem burlou a lei e torturou inutilmente um animal não significa que ela forçosamente comeu o cérebro de criancinhas no café da manhã. Não existe uma disputa de facções entre Pessoas Que Ajudam, tipo "humanos versus animais".

Geralmente as Pessoas Que Ajudam, até por estarem em menor número, ajudam várias causas ao mesmo tempo. Elas vão onde precisam estar, portanto muitas das Pessoas Que Ajudam que acham importante fazer valer a lei no caso de maus-tratos a um animal são pessoas que ao mesmo tempo doam sangue, fazem trabalho voluntário, levantam fundos, são gentis com os menos privilegiados e batalham por condições melhores de vida para aqueles que não conseguem fazê-lo sozinhos.

Talvez você não saiba porque, afinal, as Pessoas Que Ajudam não saem alardeando por aí quando precisam de assinaturas para dobrar a pena para quem comete atrocidades contra animais, que estão fazendo todas estas outras coisas, quase que diariamente. E acho que é por isso que você pensa que se elas estão lutando por uma causa que você "não curte", elas não estão fazendo outras pequenas ou grandes ações para os diversos outros problemas que elas vêem no mundo. Elas estão, sim. E se fazem ouvir como podem, porque sempre tem uma Pessoa Que Não Ajuda no meio para dar pitaco.

Então, como dizia meu avô, "muito ajuda quem não atrapalha". Porque a gente já tem muito trabalho ajudando pessoas e animais que precisam (algumas até poderiam ser chamadas tecnicamente de "crianças com fome", se assim preferem os que não ajudam).

Este texto pode e deve ser reproduzido - Escrito em 13.04.2005

14 comentários:

  1. Bela resposta! Didaticamente perfeita. Peço permissão para acrescentar para este senhor e para outras pessoas mais uma bela lição:
    "A grandeza de uma nação pode ser julgada pelo modo que seus animais são tratados." Mahatma Gandhi.
    Tenho certeza que ele nunca havia antes refletido sobre isso. Eu sou uma pessoa que ajuda! E agora mesmo vou ajudar, como sempre faço, divulgando este blob nas minhas redes de relacionamento. Um abraço a todos.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns! É a primeira vez que li um texto a esse respeito assim tão bem feito e claro.Não tenho nem palavras para expressar o quanto essa resposta foi realmente ótima!!!

    ResponderExcluir
  3. Texto belíssimo, Sr. Francisco. Com uma didática de dar inveja a qualquer imortal da Academia Brasileira de Letras. Falou com a alma e o coração e representou muito bem todos os protetores dos animais. Parabéns!!!!

    ResponderExcluir
  4. Muito interessante o texto e concordo plenamente com Francisco José.

    ResponderExcluir
  5. Parabéns, texto fantástico.Já nascí protetora, uma herança da minha finada mãe, crescí ajudando as pessoas mas hoje penso duas vêzes pois só recebí ingratidão, ao contrário dos animais que peguei morrendo nas ruas e q são os meus melhores amigos.

    ResponderExcluir
  6. "Muito ajuda quem não atrapalha"... disse tudo'! Belíssima resposta.

    ResponderExcluir
  7. Os campos livres da internet tem nos dado tipinhos populares que leem alguma coisinha e auto-proclamam intelectuais no assunto. Começam a contrapor com imediatismos superficiais como "por que não adotam crianças", em outros casos censuram a liberdade pedindo por ela... Humanos no estado de consciência sem conscientização são simplesmente um desperdício de evolução da mente...

    ResponderExcluir
  8. Show de bola!!! Maravilhoso esse texto!!! Resume tudo muito sabiamente. Parabéns e estou divulgando.

    ResponderExcluir
  9. Parabéns pela resposta, este ser deve ser um futuro político, êle não sabe que quem tem o dom para fazer por um animal, faz por qualquer ser vivo, e aliás crianças é responsabilidade do governo que nos rouba por todos lados, se este inergumino não tem o que fazer, levante-se contra a roubalheira e a corrupção do congresso, assim sobra dinheiro pra tudo....

    ResponderExcluir
  10. O cão, o gato não tem um posto de saúde dando CAMISINHA, ANTICONCEPCIONAL DE GRAÇA! Então eles procriam, e são jogados na rua por seu tutores! As crianças com fome são filhos e filhas das "pessoas que podem ir ao posto de saúde,porém por comodismo e por ter pessoas que ajudam a alimentar seus filhos não se preocupam em se cuidar. Pro este motivo EU ALIMENTO UM ANIMAL COM FOME!

    ResponderExcluir
  11. TEXTO BELO SIM!!! POREM, PREPOTENTE TAMBÉM! POIS AJUDA É AJUDA! NÃO ESTOU NO MEIO DAS PESSOAS QUE VOCÊ CITOU QUE "NAO AJUUDA" MAIS ESTAMOS NOS IGUALHANDO A ESSAS PESSOAS RIDICULAS TENTANTO FOCAR COMO E QUEM DEVE SER AJUDADO. VAMOS FAZER NOSSA PARTE! FELIZ NATAL A TODOS!

    ResponderExcluir
  12. ótima colocação Francisco, quem só reclama, faça sua parte, ficar criticando quem escolhe uma causa, enquanto você não tem nenhuma, é o supra sumo da facilidade. Parabéns pelo foco. A gente tem que defender o que acha correto e demonstrar que um monte de palavras, sem nenhum tipo de ação, só pode formar um dicionário.

    ResponderExcluir
  13. é tão ridículo de se ver uma discussão dessas, não é? Vida é vida! e devemos respeitar todas as formas de vida!
    Achei muito pertinente todas as suas colocações, parabéns!

    e se é pra ser assim, que os Fofistas sejam maioria no mundo. Digo mais, deveríamos formar a Sociedade dos Fofistas Potiguar! sem mais

    ResponderExcluir

SEU COMENTÁRIO É IMPORTANTE PARA NÓS