domingo, 31 de outubro de 2010

UMA HOMENAGEM A LAIKA


Laika (que em russo quer dizer: "latido") foi o primeiro ser vivo a orbitar a Terra e o fez a bordo da nave soviética Sputnik 2, em 3 de novembro de 1957, um mês depois do lançamento do satélite Sputnik I, o primeiro objeto artificial a entrar em órbita.

O SPUTNIK 2 não possuía capacidade de regressar à Terra, pois na época ainda não se tinha desenvolvido a tecnologia necessária para tal. Os técnicos previam “adormecer” o cão com uma injeção letal automática antes que o oxigênio a bordo da cápsula se esgotasse.

A escolha de Laika foi feita a partir de um grupo de dez cães treinados no Instituto de Medicina da Força Aérea para participar em vôos na alta atmosfera. Oleg Gazenko era o principal cientista do projeto e treinador de animais.

Laika havia sido recrutada por ele das ruas de Moscou, onde vagava livremente, sem dono, antes de se tornar a primeira viajante espacial da Terra.

Do grupo inicial foram selecionadas três cadelinhas: Albina, Laika e Mukha. Laika foi escolhida por sua índole tranqüila e paciente. Sua suplente era Albina, que já havia participado com sucesso de dois vôos de pesquisa em alta atmosfera.

Laika e os outros dois animais foram submetidos a um intenso programa de treinos. Sensores foram colocados nas costelas e sobre a pele para registarem o ritmo respiratório, sendo uma parte da artéria carótida colocada sobre a pele para registrar o ritmo cardíaco.

O lançamento do Sputnik 2 e sua passageira aconteceu no dia 3 de novembro de 1957, a partir da plataforma LC1-5 do Cosmódromo de Baikonur, na Rússia, às 02h30min (23h30min de 2 de novembro no Brasil).
                                                                                                                                                       

Ninguém antes havia experimentado a sensação de subir ao espaço a bordo de um foguete. A pulsação cardíaca de Laika triplicou durante o lançamento, mas todos os sinais vitais até então eram normais.

Tal como previsto, O Sputnik 2 foi colocado numa órbita com um apogeu de 1.671 km, perigeu de 225 km e inclinação orbital de 65,3º em relação ao equador terrestre. O satélite, com massa total de 6.500 kg, permaneceu acoplado ao último estágio de seu lançador. Mas alguma coisa estava errada.

Foi notado um aumento significativo na temperatura do compartimento biológico. O sistema de controle térmico apresentava sinais de ineficiência e por causa disso Laika sofreu condições extremamente desconfortáveis.

Laika morreu, bem antes do planejado, segundo os russos no dia 7 de novembro de 1957. A causa de sua morte, que só foi revelada décadas depois do vôo, foi, provavelmente, uma combinação de estresse sofrido e o superaquecimento, talvez ocasionado por uma falha no sistema de controle térmico da nave. Apesar do acidente, essa experiência demonstrou ser possível para um animal suportar as condições de microgravidade, abrindo caminho assim para participação humana em vôos espaciais.

No site Zênite* você encontrará a história de Laika com detalhes, fotos e poderá ouvir o som do coraçãozinho de Laika quando em órbita.

Minha mãe quis colocar um vídeo com Laika, mas ela não conseguiu assistir nenhum até o final (ela não parava de chorar). Quem sabe, num próximo tópico sobre Laika.

* O site Zênite encontra-se atualmente fora do ar.

Texto originalmente publicado no blog Segredos de Iaiá Michele.

Para saber mais detalhes sobre a historinha de Laika:

4 comentários:

  1. Olá, lembro até hoje de Laika, mas não sabia desses detalhes que está no blog, mas eu imaginava esse sofrimento dela nos dias de hoje, lembro dessa foto que correu o mundo, sua mãe tem razão de chorar porque eu tambem chorei ao ler o blog, na época eu pensava que ela ia voltar sã e salva, com o passar dos anos fui entender a realidade de Laika.
    Bom artigo
    abraço

    ResponderExcluir
  2. Olá Maria Alice, na realidade esse texto foi publicado originalmente no blog Segredos de Iaiá Michele. A história de Laika é muito, muito triste. Toda vez que olho essas fotos tenho vontade de chorar.

    ResponderExcluir
  3. Stéphanie Campos26 de junho de 2011 18:11

    Nossa... o nome da minha cadela é Laika! É impressionante como elas se parecem. Não gosto nem de pensar na minha Laikinha sofrendo.... DEUS ME LIVRE!!!!!

    ResponderExcluir
  4. Hoje podemos ver como foi um absurdo enviar ela tão linda e inocente, confiava naqueles humanos que a enviaram para a morte =(

    ResponderExcluir

SEU COMENTÁRIO É IMPORTANTE PARA NÓS